SBT quase adquiriu The Masked Singer mas desistiu da compra por falta de dinheiro

Antes de a Globo anunciar a compra do formato The Masked Singer e confirmar Ivete Sangalo como apresentadora, o reality show quase tomou outro rumo no Brasil: o SBT esteve na disputa pelos direitos, e Patricia Abravanel seria a comandante da competição.

A emissora de Silvio Santos estava em busca de um novo formato para a filha do chefe, que passou quase dois anos sem um programa próprio. Em 2019, ela assumiu o Topa ou Não Topa, ressuscitado a toque de caixa. No final daquele ano, o The Masked Singer já havia entrado no radar da emissora.

Representantes da Endemol Shine Brasil disseram à direção do SBT que o programa era um fenômeno nos Estados Unidos e que o formato estaria à disposição para compra na Natpe, um evento voltado ao mercado televisivo, realizado no final de janeiro de 2020, em Miami.

Na feira, os compradores da Globo se empolgaram com a grandiosidade e com os índices de audiência que o formato conseguia nos países em que era executado. Mas o SBT também estava na jogada e tinha grande interesse na compra.

No momento em que os valores foram apresentados, porém, alguns passos para trás foram dados. O SBT avaliou que aquele não era o momento certo de se fazer um investimento tão grande.

O problema não estava na compra dos direitos do formato, mas nos custos de produção que teria caso decidisse ter o reality show em sua grade. A “bíblia” do The Masked Singer é muito rigorosa, e o valor que o SBT deveria investir ao longo de cada temporada estava completamente fora de seu orçamento naquele instante.

Poucos meses depois da Natpe, a pandemia chegou ao Brasil e o SBT foi obrigado a promover um grande corte de funcionários, incluindo apresentadores e todo o setor de teledramaturgia, para conseguir manter o caixa em dia.

A Globo saiu do evento em Miami satisfeita com todas as regras que lhe seriam impostas, mas não fechou a compra naquela ocasião. Na verdade, somente neste ano a emissora concluiu a negociação com a Endemol por conta da necessidade de refazer sua grade de entretenimento, bastante prejudicada pela pandemia.

Inicialmente, o The Masked Singer foi pensado como uma solução para os domingos, no lugar do Domingão do Faustão, mas acabou fixado nas noites de terça-feira, com Ivete Sangalo no comando.

2 curtidas

Seria um fracasso, SBT é muito ruim com programas musicais

O Maior acerto do canal até hoje foi o Qual é a Musica (que é um formato comprado de fora e não um original do canal) mas só

imagina as fantasias de papel crepom, tnt e eva

1 curtida

no seu avatar é aquele cara da primeira temporada de Legendary?

eu tava pensando sobre isso ontem. esse formato de programa é muito fora da caixinha da globo, é mais cara do sbt ou uma record. mas seria péssimo lá, imagina o nível das celebridades que participariam kkk

1 curtida

Pede o bolsonaro

sim, o jazzul

1 curtida

acho esse programa a cara do SBT mesmo
mas com essa insuportável como apresentadora e com fantasia feita de crepom melhor nem ter ido mesmo

Achei fake isso.

Ivete que comprou o formato e apresentou à Globo, tanto que saíram boatos que ela estava disponível para vender a ideia para outras emissoras e o SBT era a primeira opção fora da Globo.

De qualquer forma, só a Globo conseguiria fazer a grandiosidade que o programa pede.

bomba
que programa ruim
e ainda mais com a Jairvete apresentando

Seria bem melhor no domingo…

ainda bem que não conseguiram então

mas essa sem talento não larga o ossoh

mds, imagina isso nas mãos do sbt e da patrícia como apresentadora

mas eles não já tem um programa que faz o mesmo? máquina da fama alguma coisa assim kkkk

Ia flopar no sbt

Imagina o nível dos participantes

De Marquito e Milene Pavoro pra baixo