SÉRIE DA HBO: The Gilded Age: Nova Downton Abbey troca Inglaterra por elite dos EUA

Nova série da HBO, The Gilded Age estreia nesta segunda-feira (24) sem conseguir fugir de comparações com Downton Abbey (2010-2015). Criada por Julian Fellowes, a mente por trás do fenômeno britânico, a atração troca a aristocracia da Inglaterra do início do século 20 pela elite dos Estados Unidos nos anos 1880.

As semelhanças entre as duas produções ficam apenas no nome de seu criador. Assim como a série britânica, The Gilded Age tem o brilho do realismo quase perfeito da reconstrução do século passado. O design de produção e o figurino impecável dos personagens leva o público direto para 1882, ano em que se passa o início do drama.

No centro da trama, a alta sociedade e nobreza de Nova York dividem o foco com seus criados, cujas histórias ganham tanta ou mais importância do que os personagens ricos que esbanjam joias, vestidos e ternos da mais cara grife.

A principal diferença entre The Gilded Age e Downton Abbey está nas famílias que habitam o centro da narrativa principal. Se a série britânica e os filmes derivados são baseados nas histórias da família Crowley, a atração da HBO divide o protagonismo entre vários clãs importantes de Nova York.

Cynthia Nixon e Christine Baranski

O principal deles é o da recém-chegada Bertha Russell (Carrie Coon), cuja família acabou de mudar para um verdadeiro palacete no coração da cidade. Seu marido, George (Morgan Spector), é um milionário dono de quase todas as rodovias dos Estados Unidos e que chegou em Nova York querendo expandir o seu império.

Sem a aristocracia britânica, The Gilded Age tem como pano de fundo a hostilidade das famílias tradicionais da cidade em relação ao que eles chamam com desdém de “as novas pessoas”, aquelas que recentemente ganharam fortunas, mas não receberam as boas-vindas da elite novaiorquina.

Essa guerra intraclasse e as exibições ostensivas de riqueza são vistas em parte pelos olhos de Marian Brook (Louisa Jacobson, filha caçula de Meryl Streep). Após ficar sem dinheiro com a morte de seu pai, a jovem viaja da zona rural da Pensilvânia para morar com suas duas tias, a imponente Agnes van Rhijn (Christine Baranski) e a doce Ada Brook (Cynthia Nixon).

Vinda de uma educação menos formal e sem tanto glamour, Marian sente dificuldades para se encaixar na rotina e ideias impostas por suas tias. Agnes, cujo relacionamento com o pai da protagonista era inexistente, se casou com um homem rico e aprendeu a sobreviver entre os chamados “velhos ricos” após se tornar viúva.

Louisa Jacobson e Denée Benton

Este preconceito com os recém-chegados coloca Agnes em rota de colisão desde o início com Bertha. O atrito entre as duas respinga em Marian, que se aproxima da família Russell por meio de sua amizade com os filhos da matriarca.

A versão americanizada de Downton Abbey também introduz questões raciais para se diferenciar da série irmã, criticada por deixar de fora atores negros de sua narrativa. Ao chegar em Nova York, Marian esbarra em Peggy Scott (Denée Benton), jovem negra aspirante a escritora que recebe de Agnes uma chance para trabalhar e fazer dinheiro na cidade grande.

Exaltado por seu trabalho na série e filmes de Downton, Fellowes continua a fazer malabarismos para encaixar com perfeição subtramas que se cruzam com a história principal. O showrunner tem total domínio de seu texto e explora as principais características de seus personagens tornando igualmente adorável e constrangedor as intrigas que nascem da nobreza norte-americana.

No papel de Marian, Louisa Jacobson dá vida à jovem moderna marginalizada que sofre com a cobrança de gerações passadas. Agnes quer que a sobrinha se case com um homem rico para sobreviver, enquanto Ada torce para ela encontrar o seu grande amor. A dinâmica entre o trio se assemelha ao visto nas séries da bruxinha Sabrina estreladas por Melissa Joan Hart e Kiernan Shipka, cujas personagens era criada por tias de personalidades completamente distintas.

The Gilded Age ainda recicla tramas muito exploradas em Downton Abbey, como o romance gay proibido entre dois homens, e cria claras contrapartes de personagens cujas personalidades e características físicas se espelham nos da série britânica.

A primeira temporada de The Gilded Age terá nove episódios exibidos semanalmente na HBO, sempre às segundas. Assista ao trailer legendado:

Parece legal