Sol Menezzes fala da influência da irmã, Sheron, na carreira e sobre bissexualidade: 'A gente precisa falar disso de uma forma normal'

A atriz Sol Menezzes cresceu tendo a irmã, Sheron Menezzes, como referência no mundo artístico. Agora, tem a oportunidade de vê-la protagonizar “Vai na fé” interpretando uma personagem com o mesmo nome que o seu. Em entrevista ao site, ela brinca sobre a coincidência:

— Eu achei engraçado, fiquei chocada. A Sol dela é Solange, e muita gente me chama de Solange brincando. O meu é só Sol mesmo. Mas achei um trocadilho bem divertido. O nome, de fato, combina com a personagem. Ela é solar.

Assim como a irmã, Sol vive sua primeira protagonista. Ela está em “Dois tempos”, série que estreou recentemente no Star+.

— Fazer uma protagonista é o ápice na carreira de um ator. É a oportunidade que a gente tanto espera de poder mostrar o trabalho. Fiquei muito feliz. Me preparei para isso e finalmente chegou — diz ela, que também está radiante com o momento vivido pela irmã: — O Brasil inteiro tem visto o quanto ela é talentosa e como merecia esse lugar. É uma das novelas com maior audiência dos últimos anos. Acho que essa é a melhor resposta. Ela tem o potencial e o carisma necessários, tudo o que é preciso para ocupar um espaço de protagonista. Que daqui para frente venham mais.

Sol também participou das séries “Irmandade” (Netflix) e “Perdido” (Globoplay) e do filme “Meu sangue ferve por você”, que será lançado em breve. Ela começou a carreira no teatro ainda na infância e sempre acompanhou os passos da irmã:

— Eu e Sheron sempre fomos muito próximas. Mas, quando ela saiu de casa, eu era muito nova. A gente morava em Porto Alegre. Quando eu tinha 8 anos, ela foi para o Rio para começar a trabalhar. Mas todo verão eu ia para a casa dela. Ela me levava ao Projac (hoje Estúdios Globo), me mostrava o Rio. A gente matava essa saudade. Cresci vendo como funcionava de dentro, vendo os artistas, as gravações, as entrevistas… Me abriu os olhos para esse mundo. Tenho muitas memórias boas. Não tem como dizer que não teve uma influência. Eu cresci tendo uma irmã artista. Eu sabia que ela tinha alcançado e que também era possível para mim.

Em “Dois tempos”, Sol interpreta duas personagens, uma delas, lésbica. A atriz, que faz parte da comunidade LGBTQIAP+, destaca a importância da representatividade nesse e em outros trabalhos:

— Eu já tive par homem, mas cenas de sexo foram todas com mulheres. É uma coincidência. E continuam chegando testes para mim com personagens lésbicas. Eu sou bissexual, não tenho nenhum problema em relação a isso. Fico feliz de dar voz a mulheres lésbicas e bissexuais, porque a gente precisa falar disso de uma forma normal. Não tem que ter uma questão.

Além de atriz, Sol trabalha como influenciadora digital falando sobre beleza, bem-estar e moda. Ela conta que também tem o desejo de trabalhar por trás das câmeras:

— Já atuei em outras áreas do audiovisual e atualmente tenho me encantado muito pela direção. Trabalhei com preparação de atores e direção de esquetes teatrais, mas hoje fico curiosa para dirigir projetos no audiovisual. Quero experimentar a direção, acho uma forma muito bonita e poética de conseguir juntar tudo que venho aprendendo ao longo da minha trajetória.

Eu buguei com o título kkkk