SP: Na madrugada mais fria do ano, morador de rua morre na fila para o café da manhã

Homem morre em centro de convivência da Prefeitura de SP; cidade registrou madrugada mais fria do ano nesta quarta

Local oferece comida para população sem-teto. Vítima, de 66 anos, morreu após sofrer uma convulsão na fila à espera do café. Ainda não há informação sobre onde ele teria passado a noite.

Uma pessoa morreu na manhã desta quarta (18) no núcleo de convivência São Martinho, abrigo conveniado com a Prefeitura de São Paulo e administrado pelo Centro Social da Nossa Senhora do Bom Parto.

O local foi isolado. Segundo informações passadas à TV Globo no local, Isaías de Feria, de 66 anos, morreu após sofrer uma convulsão enquanto aguardava para tomar o café.

Ele tinha dormido na rua, próximo ao centro de convivência. O local não abriga a população sem-teto, mas oferece diariamente alimentação.

Nesta quarta (18), a cidade registrou a madrugada mais fria do ano, com 7ºC marcados na estação do Mirante de Santana, do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), às 6h.

Até então, o dia mais frio do ano havia sido registrado no dia 16 de abril, com os termômetros marcando 13,1ºC.

O frio intenso afetou até o transporte sobre trilhos. Segundo o Metrô, as baixíssimas temperaturas na região leste afetaram o sistema pneumático de portas e freios de alguns trens da Linha 3-Vermelha, que ficaram retidos no pátio. Por conta disso, a linha opera com velocidade reduzida.

Operação Baixas Temperaturas

Por conta do frio intenso, a Prefeitura de São Paulo elaborou um plano para tentar abrigar quem vive em situação de rua.

Na capital, cerca de 2.000 vagas foram abertas em centros esportivos, albergues e hotéis. Mesmo assim, muita gente segue ao relento já que a conta não fecha: são quase 32 mil pessoas que estão pelas ruas.

A prefeitura também prometeu montar dez tendas, espalhadas em pontos de grande concentração de pessoas em situação de rua, para servir sopa e agasalhos e deixar profissionais da saúde de prontidão.

Abrigo no Metrô

Na terça (17), o governo de São Paulo, o Metrô e a Defesa Civil estadual anunciaram a abertura de um centro de acolhimento provisório para moradores de rua na estação Dom Pedro II, no Centro de São Paulo, nas noites mais frias do ano.

A ação chamada “Noites solidárias” aconteceu pela primeira vez no inverno do ano passado, quando as temperaturas chegaram a 6º C, e, neste ano, terá capacidade de abrigar cerca de 100 pessoas nas dependências da estação, sempre a partir das 19h.

De acordo com o Fundo Social de São Paulo, o abrigo na estação Dom Pedro II, da Linha 2- Vermelha, começou já nesta terça-feira (17) e terá também distribuição de sopa e bebidas quentes aos abrigados, por meio do programa Bom Prato móvel.

gente :frowning:

Que tristeza!

Que tristeza gente!

Coitado, ele deveria estar morrendo de fome + o frio intenso, passar fome é uma das coisas mais tristes do mundo

O fracasso da humanidade

1 curtida

Só posso imaginar o sofrimento dele… </3

1 curtida

Muito triste isso.

Eu todo agasalhado indo pra faculdade ontem, e tava sofrendo com o vento entrando dentro da minha roupa, parecia que tava molhado, ou com gelo passando na minha pele

Depois vi um morador de rua deitado só com uma coberta…

Fiquei mal na HR

1 curtida