Taiwan diz que 11 aeronaves chinesas cruzaram linha mediana do Estreito de Taiwan

Onze aeronaves chinesas cruzaram a linha mediana do Estreito de Taiwan na manhã desta sexta-feira, uma barreira não oficial entre os dois lados, disse o Ministério da Defesa de Taiwan, enquanto a China aumenta a pressão militar sobre a ilha democrática.

Taiwan, que a China reivindica como seu próprio território, tem reclamado nos últimos anos de missões quase diárias da Força Aérea chinesa, muitas vezes na parte sudoeste de sua zona de identificação de defesa aérea.

Um total de 24 aviões de guerra chineses, incluindo caças e bombardeiros, foram avistados perto de Taiwan na manhã desta sexta-feira por volta das 8h, disse o Ministério da Defesa, acrescentando que cinco navios de guerra chineses também se juntaram a uma “patrulha conjunta de preparação para a guerra”.

Taiwan enviou aeronaves e navios para alertar sobre as atividades chinesas, enquanto os sistemas de mísseis os monitoravam, disse o ministério.

Uma autoridade de segurança de Taiwan disse à Reuters que as atividades chinesas nesta sexta-feira provavelmente foram uma reação à visita a Taipé feita por uma delegação do Congresso dos Estados Unidos liderada pelo presidente do Comitê de Serviços Armados da Câmara dos Deputados dos EUA, Mike Rogers.

A China, que nunca renunciou ao uso da força para colocar Taiwan sob seu controle, organizou em abril exercícios ao redor da ilha após a reunião da presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, com o presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Kevin McCarthy.

O governo de Taiwan se opõe fortemente às reivindicações de soberania da China e promete se defender caso o país ataque a ilha.

Xi Jinping é brincalhão assim mesmo