VEJA chama novo single de Beyoncé de "genérico"

‘Break My Soul’: Beyoncé abandona tom político com single genérico

Quatro anos após o lançamento do álbum Everything is Love, parceria com o marido, Jay-Z, Beyoncé liberou o single Break My Soul na madrugada desta terça-feira, 21, em todas as plataformas digitais. A nova canção mostra que a cantora abandonou o tom político antirracista presente em Lemonade (2016) para lançar um produto mais genérico e dançante. A primeira música do novo álbum Renaissance começa com uma batida eletrônica, uma lembrança direta à febre da dance music dos anos 2000, marcada na memória brasileira pelas coletâneas Summer Eletrohits, da Som Livre. E a letra, por mais motivacional que seja, remete a canções do R&B da mesma década. Break My Soul não é ruim, mas não é inovadora como Beyoncé costuma ser.

Como o título do álbum já entrega, Renaissance – que significa “renascimento” em tradução para o português – representa a vontade da cantora de recomeçar sua carreira após alguns anos mais focada nos filhos Blue Ivy, Sir e Rumi — todos frutos do casamento com Jay-Z —, e iniciar uma nova era como engajada diva pop. A mudança, portanto, não deixa de assinalar uma guinada. Por ser de Beyoncé, Break My Soul deve bombar no streaming e alcançar o topo das paradas (charts) de qualquer forma, graças à legião de fãs fiéis da cantora. Falta saber se o resto do álbum entregará o conceito almejado pela artista.

15 postagens foram movidas para um tópico já existente: BEYONCÉ: Revista VEJA choca ao comparar Break My Soul a Summer Eletro Hits