Venenosa da Record, Poliana Rozado rompe silêncio após demissão e detona a emissora que a proibia dar noticias sobre LGBTQIA+

Poliana Rozado foi demitida na última sexta-feira (29); ela criticou os bispos e os chamou de conservadores

Poliana Rozado abriu o jogo sobre seu desligamento da Record Minas , oficializada na última sexta-feira (29). Em conversa com Cristiano Rogério, dono da página de fofoca Beyoncé Destruidora, a apresentadora do quadro Hora da Venenosa negou que teria sido demitida por pedir aumento salarial, mas porque os bispos e a direção não estavam satisfeitos com seu perfil, digamos, liberal.

Na troca de mensagens, a ex-Venenosa de Belo Horizonte disse que era proibida de dar notícias que envolvessem personagens da comunidade LGBTQIA+ em seu quadro no Balanço Geral MG. Além disso, afirmou que a direção sempre pedia para que ela escondesse suas tatuagens no ar, além de tirar seu piercing.

" A Record estava insatisfeita com meu perfil , que sempre foi assim, né? Eles são muito conservadores e começaram a querer me moldar", revelou.

A demissão, segundo Poliana, já era um sonho antigo da emissora, que a boicotava até nas redes sociais oficiais, mesmo sendo a apresentadora do programa que mais dá audiência para a Record Minas.

Para não ficar feio para a emissora, espalharam um boato de que o desligamento se deu por conta dos pedidos de aumento salarial que ela teria feito à direção, algo que ela desmentiu e ainda frisou: “Ninguém pede, porque eles nunca dão.”

Segundo o perfil PlayNews, a Record Minas já definiu sua substituta: será a gaúcha Mônica Fonseca, que também já apresentou o quadro de fofoca dos famosos em Porto Alegre, e que pretende trazer uma nova linguagem ao programa.

Lenda
Ela sempre dava altas patadas no machista do Mauro
Tomara que a fada vá pra Globo Minas

A Record é um lixo absoluto

É por essas e outras que eu torço pra Globo continuar sendo a #1 do país, pq pelo menos ela dá mais espaço e conteúdo pra classe LGBTQIA. Enquanto Record e SBT se pudessem deixava todo mundo que representa o mínimo de diversidade no armário ou numa câmara de g**.

1 curtida

É inacreditável o nível de hipocrisia desses pastores. Uma emissora de tv evangélica proibir falar de LGBT e mostrar TATUAGEM enquanto apresenta um programa de FOFOCA.

Cada nome

Trabalhar na Record é castigo, foi um livramento pra ela isso sim

O Marcos Mion disse ano passado em entrevista quando na época ele foi pra Globo que a Record queria que ele vestisse roupas que cobrissem as suas tauagens do braço, costas e pernas porque acabava pegando muito mal pra eles se o apresentador aparecesse com tudo isso exposto na TV

mas isso não é surpresa

1 curtida

record merda
pena que os realities são entretenimento puro

1 curtida

beyoncé destruidora